Resenha: Grey - E.L. James

 
Editora Intrínseca
Tradução: Adalgisa Campos da Silva, Julia Sobral Campos e Maria Carmelita Dias
528 páginas
2015

ATENÇÃO: Apesar de ser um novo ponto de vista, este livro contém acontecimentos ocorridos em Cinquenta Tons de Cinza e se você ainda não o leu, pode haver spoilers.

Christian Grey é um controlador nato e tem todos os aspectos de sua vida sob controle, até que Anastasia Steele aparece em seu escritório, com suas lindas pernas e longos cabelos castanhos.
Christian bem que tenta esquecê-la, mas se vê cada vez mais envolvido em emoções que não compreende e que não consegue resistir. Como nenhuma outra, Ana parece conseguir ver o homem por trás do empresário bem-sucedido.
Será que com ela seus fantasmas desaparecerão? Ou seus desejos obscuros e seu controle compulsivo irão afastá-la?

"Fecho os olhos, lutando com a sensação inquietante que cresce e enche meu peito novamente. É como estar com saudade de casa e já ter voltada para lá, tudo ao mesmo tempo... e é apavorante."

A trilogia Cinquenta Tons de Cinza é um fenômeno e disso todos sabemos, não é? Talvez, por isso a expectativa por Grey, o livro que nos traz a visão de Christian dos acontecimentos do primeiro volume, tenham sido tão altas, pois finalmente conheceríamos mais a respeito desse personagem tão enigmático. Bem, não é exatamente assim que as coisas acontecem.
Devo deixar claro que a história retratada em Grey é em grande parte a mesma do primeiro livro. Diálogos, emails e acontecimentos são os mesmos, porém as cenas diferenciam-se um pouco, já que deixamos de lado a "deusa interior" de Anastasia para darmos vez aos pensamentos de Christian.



Christian Grey tem um passado sofrido, isso não é novidade, e nesse livro sabemos um pouco mais sobre o que ele passava, os abusos que presenciava e de que maneira ele ganhou suas cicatrizes, através dos constantes sonhos que ele tem sobre a sua infância. Também sabemos um pouco mais sobre a sua relação com Elena, ou se preferir Sra.Robinson, quando era um adolescente ainda traumatizado, por isso, há também mais cenas em que ela está presente, seja pessoalmente, por telefone ou email. Também presenciamos uma consulta com Dr.Fynn, seu terapeuta, e momentos de interação com seus funcionários.

Sabemos que ele é obscuro, possessivo e extremamente controlador e confesso que estava esperando uma narrativa mais intensa, que trouxesse à tona toda essa dominação que faz parte da personalidade do personagem, mas a autora deixou a desejar. Christian é um protagonista melhor escrito, muito mais maduro do que Ana e sua história passada sempre nos deixa triste pelo seu sofrimento, mas apesar disso não há grandes novidades acerca dele para nós além dos pequenos trechos sobre seu passado que mencionei no parágrafo anterior.

Confesso que eu estava louca para saber mais, como o que fez com ele se apaixonasse pela Ana, o que ele sente em relação à sua família, como foi sua adolescência e etc, mas o que nos é passado não vai além do primeiro livro. Aliás, isso me deixou com uma enorme curiosidade: haverá novas versões para os demais livros?

E.L. James trouxe, em grande parte, mais de algo que já existia, apesar da grande sede por cenas inéditas. Não há inovações nem grandes surpresas, ainda assim para quem gosta da história de Christian e Ana é um acréscimo considerável à coleção e quem gostou do primeiro livro com certeza gostará deste. Repetitivo? Sim, contudo ainda é interessante ter acesso aos pensamentos do Sr.Grey.

"Sentado à minha mesa,sou novamente o senhor do meu próprio universo."

Sobre a série:
Cinquenta Tons é uma trilogia erótica composta por Cinquenta Tons de Cinza, Cinquenta Tons Mais Escuros e Cinquenta Tons de Liberdade, todos já lançados no Brasil. Não há previsão de novos livros.
O primeiro livro foi adaptado para o cinema em 2015 e a sequência está prevista para estrear em 2017.

6 comentários:

  1. Oi Larissa tudo bom ? Eu li Grey e dei a mesma nota que você, achei muito fraquinho, é como você disse, não traz nada de novo sobre o Christian. Eu estava tão empolgada pra ler ele, foi uma decepção haha


    Beijos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  2. Oi!!! Tudo bem?
    Ainda não consegui me interessar em ler este livro, a série 50 Tons foi o que menos gostei dos livros do gênero, mas do filme gostei bastante. Acho que a história fica muito redundante mostrando o mesmo período de visões diferentes.

    Beijos
    Carla Fernanda
    http://livrosqueliblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Li somente o primeiro livro da série, mas um dia comecei a leitura desse por achar que o Christian iria possuir uma visão melhor,só que realmente é repetitivo e abandonei.

    beijos
    http://infinitudedepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. @Lurdes Zwierzykowski
    Oi Lurdes! Sim,infelizmente é repetitivo mesmo. :/

    ResponderExcluir
  5. @livros que li
    Oi!Realmente, acaba sendo mais do mesmo e sem novidades.
    PS: também gostei do filme, rs.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. @Sarah Fernandes
    Oi Sarah!
    Concordo com você: decepção é a palavra, infelizmente.

    Bjs!

    ResponderExcluir