Resenha: O Canto Mais Escuro da Floresta - Holly Black

Editora Galera Record
Tradutora: Camila Pohlmann
294 páginas
2017

A cidade de Fairfold é diferente das outras. É o lugar onde humanos e criaturas místicas teoriacamente convivem em paz, por mais que algumas pessoas sumam e sejam encontradas alguns dias depois e todos precisem usar amuletos de proteção. Somado a isso, no meio da floresta há um caixão de vidro, onde um jovem garoto com chifres descansa há dezenas de anos. Hazel e Ben Evans sempre sonharam que o garoto era o príncipe deles, que teria de ser salvo. Conforme o tempo passa, as aventuras são esquecidas... Até que o garoto de chifres acorda e some. Agora, Hazel precisa tornar suas histórias de infância reais, para proteger aqueles que ama e evitar que Fairfold seja tomada pelos seres da floresta.

Já tive a oportunidade de ler dois livros de Holly Black: A Menina Mais Fria de Coldtown e O Desafio de Ferro - esse último com Cassandra Clare. Eu não vou mentir, não gostei muito de nenhum dos dois, acho que principalmente, por achar que faltava algo na história. Não havia algo realmente interessante ou “uau” em meu ponto de vista. Logo, apesar de a capa de O Canto Mais Escuro ser arrasadora (parabenizo o trabalho!) e a sinopse ser bem atraente, li o livro com certo receio. E no fim foi ótimo, porque a história superou minhas expectativas.

“Tinha de lutar com eles, com todos eles, até chegar ao monstro no coração da floresta e terminar com aquela maldade de uma vez por todas, para que todos em Fairfold ficassem em segurança para sempre.”

A premissa já é meio fora do comum. Acho que é o primeiro livro com temática de fadas que é abordado de forma diferente; não só é no mundo humano, como eles convivem “normalmente”. As criaturas da floresta são a principal renda da cidade, sendo a atração turística de Fairfold, que conta com tudo que uma cidade relativamente grande pode ter, o que chega até mesmo a causar certa estranheza ao leitor. Além disso, O Canto Mais Escuro da Floresta não é bem uma aventura onde a protagonista descobre ser mágica, o que também é um ponto positivo.
O que mais gostei na história é que ela é alternada em passado e presente, onde as cenas passadas são todas importantes e relacionadas ao ponto em que a trama se desenrola. Assim, é posssível compreender aos poucos algumas questões que são levantadas e perguntas que ficam no ar logo no início.

Já os personagens são meio nebulosos pra mim. Assim como nos outros livros lidos de Black, não senti conexão alguma com eles. Todos são distintos e possuem suas próprias histórias (backstorys), que são contadas ao longo da obra. Entretanto, nenhum foi capaz de fazer eu me identificar ou sentir qualquer tipo de afeição. Eles são bem pensados e detalhados, mas novamente, Holly Black peca em dar carisma a eles. Ainda assim, algumas nuances são interessantes, como ambos os irmãos serem apaixonados (romanticamente mesmo) pelo garoto de chifres e Hazel ser o tempo todo mencionada como o cavaleiro. Enquanto Ben é o músico talentoso, Hazel fica com a morte e as espadas.

As formas com que as fadas e criaturas são retratadas também são curiosas. São seres travessos, que faz com que a população precise se cuidar caso não queira ser atacada. Volta e meia, porém, algum corpo é encontrado das mais variadas e bizarras formas, principalmente turistas. A situação piora quando o garoto do caixão acorda, e a floresta fica ainda mais agitada e perigosa, o que faz com que o leitor fique meio chocado em alguns momentos.

Resumindo, O Canto Mais Escuro da Floresta foi um livro muito bom que tratou de um tema fantástido de forma única e até meio macabro em certos pontos. Holly Black realizou uma incrível homenagem ao folclore das fadas, e portanto, vale a pena ser conferido, tanto pra quem não conhecia, como eu, e pôde ter uma noção do que é, como pra quem já conhece, para poder conhecer uma obra baseada em tais características. Vale lembrar também que não se trata de uma série, o que também é muito válido.

14 comentários:

  1. como vc disse, eu tb n consigo me apegar mt aos personagens da holly, mas acho que sao bem construidos de certa forma
    tb achei curiosa esse nova forma de tratar as fadas, eu adoro a autora entao qnd tiver a oportunidade irei ler o livro

    perolasdelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu achei o livro diferente e a capa fofinha. Gosto quando o fantástico é tratado de forma macabra, quando tiver oportunidade, quero ler e como ainda não li nada de Holly Black, acho que essa é uma forma bacana de começar.

    ResponderExcluir
  3. Olá , tudo bem ?
    Dês do lançamento que tô namorando esse livro , a sinopse me deixou muito curiosa , adoro o gênero Fantasia , e melhor ainda quando se tem fadas . Antes estava curiosa agora estou ( MDS preciso rsrs ). Outra coisa que me chamou a atenção foi o lado macabro , bem diferente .
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila, esta capa tinha me chamado atenção, mas não sabia do que se tratava. Gostei do enredo, gosto deste mundo fantástico com fadas e tudo o mais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu acho a capa desse livro maravilhosa e a premissa me deixa bem curiosa. Eu gostei da sua resenha e fiquei ainda mais interessada em realizar a leitura, parece ser uma obra cheia de surpresas.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Que linda essa capa, estou encantada!
    Já tinha visto algo sobre essa obra, mas não me aprofundei tanto sobre o tema. Sua resenha me deixou com mais vontade de realizar a leitura logo.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mila!
    Apesar de ter um livro da autora, nunca li nada dela. Quero dizer, cheguei a iniciar a leitura de "AMMFDC", mas só o começo já me deu tédio. Enfim, esse livro parece ser bem bacana e gostei da sua resenha. Agora só preciso decidir se lerei ou não, kkkk.

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Desde que vi essa resenha, fiquei bem curiosa pela história e essa capa é incrível. Gostei muito da sua resenha e com certeza irei realizar essa leitura.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  9. Hey!

    Não conhecia o livro, mas me encantei pela capa assim que vi. Achei muito interessante a sinopse e, como você mesmo falou, o fato das fadas e criaturas mágicas serem tratadas de um outro ponto de vista não com aqueles frufruzinhos, fiquei bem curiosa para er, dica anotada.

    BjOS,
    Fonte Literária

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Tô louca para adquirir esse livro e depois da resenha mais ainda! Além de parecer ser muito bom ele tem uma capa magnifíca!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Nunca li nada da Holly Black, mas sempre tive vontade de ler o trabalho dela com a Cassandra. Que pena que nenhum dos outros funcionou para você, mas aqui superou expectativas <3 Gostei dessa temática diferente com as fadas, é inovados, e a questão de ser alternada entre presente e passado é uma boa. Que pena que você não teve uma conexão com os personagens, mas as vezes isso acontece.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Eu vi o box dessa caixa e achei lindo mas confesso que a história em si não me atraiu tanto apesar de você ter gostado e ressaltado os pontos positivos dele, por hora irei deixar passar a dica, mas quem sabe futuramente eu não de uma chance, já que eu sou apaixonada pela capa. kk

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Ai que medo dessa coisa meio macabra... Rs... Mas já li um livro da autora e adorei então acho que vou superar o receio. E o fato de ser livro único também me anima muito! Como foi um livro que veio na malinha do Turista Literário já tenho o meu, espero ler em breve. Que bom que superou suas expectativas, espero que supere as minhas!

    ResponderExcluir
  14. EU preciso de algo assim, não clichê, para me convencer a voltar a ler fantasia! Estou totalmente convencida e ele já está no topo da wishlist haha Adorei mesmo essa premissa totalmente diferente.

    ResponderExcluir