Resenha: Victoria e o Patife - Meg Cabot

 
Editora Galera Record
Tradutora: Marcela Filizola
256 páginas
2017

Victoria é a filha e herdeira de um já falecido Duque e viveu grande parte de sua vida na Índia, com três tios. Com 16 anos, eles decidem enviá-la para a Inglaterra, afim de que ela possa encontrar um marido. Já na longa viagem de navio ela conhece o pretendente ideal, Hugo Rothschild. Ela finalmente sente que ama, já que ele definitivamente precisa dela para organizar sua vida. Mas o capitão do navio, Jacob Castairs, insiste em impedir a união dos dois e ela odeia Jacob. Por que ele insistiria em que ela desista do matrimônio com Hugo?

"Afinal, por mais que Victoria tivesse aprendido quase tudo que sabia sobre histórias de amor com a dama de companhia, havia uma coisa ainda mais importante que aprendera com os tios: o espírito esportivo. Ou seja, aceitar as perdas com elegância e passar pelas dificuldades com coragem."

Victoria e o Patife tem uma premissa muito simples. Victoria é filha de um conde que faleceu e morou a vida inteira com tios na Índia. Ao completar 16 anos, ela precisa passar a pensar em um casamento e por isso é levada para a Inglaterra, onde terá mais chances para encontrar um bom partido. Por ser jovem ainda, ela se apaixona logo no navio por um conde bem apessoado e bonito, Hugo. Ao mesmo tempo, Jacob, o capitão do navio parece não gostar nada disso. E mesmo quando eles desembarcam no destino, Jacob Castairs parece estar sempre por perto para implicar com a garota e difamar Hugo.


Victoria é a alma da história, isso é inquestionável. A protagonista é geniosa, perspicaz e impulsiva, características essas que delineiam todo o livro, acrescentado a narrativa já conhecida da autora. Ou seja, o que já teria uma pitada cômica normalmente, é ainda mais cômico, talvez até com certo humor ácido. A garota ama organizar a vida e resolver os problemas - mas os dos outros, não os dela. Victoria considera-se uma pessoa resolvida, ainda que suas experiências sejam mais conturbadas que as de qualquer um. Como cresceu na Índia, ela não tem os hábitos que ladys da Inglaterra normalmente possuem. E toda sua família, os tios e primos mais velhos (as crianças só fazem bagunça), ficam horrorizados com isso.

Entretanto, é perceptível que a trama realmente destina-se ao público infanto-juvenil. Não há muitas surpresas e as poucas que têm são facilmente identificadas e adivinhadas, tudo de forma fácil. Como em uma cena da metade do fim (exemplificando, não é o que acontece) a protagonista está em dúvida sobre algo, sendo que a resposta para sua pergunta está exatamente em sua frente, e Victoria demora minutos e minutos para encontrar a solução debaixo do nariz.
Além disso, o que mais me incomodou na trama é que, por mais que se trate de um romance histórico (ainda que juvenil), Meg Cabot não chega nem perto de definir uma época para se passar o livro. Por isso, só sabemos que se trata de um histórico por causa dos adereços e alguns costumes descritos. Ainda assim, fica bem difícil de imaginar os cenários e vestimentas, por mais que eu goste de pensar que se trata da Era Vitoriana (hehe).

Como de praxe nos livros de Cabot, há um ápice na história, esse sim algo que eu não esperava que fosse ocorrer. Por mais que o desenrolar de tal acontecimento seja simples, é a parte do livro em que mais acontecem momentos inesperados, e a autora relembra nesse momento, quase todos os personagens da trama, algo muito positivo, já que engloba e dá final a vários deles.

Por fim, Victoria e o Patife é uma leitura divertida e fofinha, ideal para passar a tarde lendo, já que é de fácil leitura. Não sei se o recomendaria, porém, para aficcionados por romances históricos, já que não há elementos específicos descritos. Ainda assim, toda leitura é válida e Victoria e o Patife é indicado para todas as idades.

22 comentários:

  1. Acredito que vá fazer sucesso. Particularmente, prefiro outros gêneros literários. Contudo, parece ser bem escrito e a trama se apresenta de modo envolvente pelo que você relata. Não conheço o autor, mas parece ser bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Não é o meu género de leitura mas parece-me uma boa história. Gostei da sua resenha.

    ResponderExcluir
  3. Oi Camila, tudo bem? Preciso dize que estou louca por esta obra desde o seu lançamento. Meu primeiro contato com a Meg Cabot foi através da série "Os mistérios de Heather Wells" e eu simplesmente amei todas as páginas. Sei que esta em questão é mais voltado para o público juvenil, mas tenho uma sensação boa com a história. Agora, sobre a sua resenha, está maravilhosa e eu já super gostei da protagonista, Victoria, só pela maneira que você a descreveu. Uma pena a autora ter se perdido neste fato da época em que a história se passa. Senti que a leitura seria boa para sair de uma resseca literária, leve e fofa. Obrigada pela dica!

    Beijos,
    www.paginasincriveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu gosto muito de romances de época, então, desde que vi que esse livro seria lançado, estava curiosa para ler uma resenha sobre ele. Estou meio em dúvida se gostarei dele ou não, por ser mais infanto-juvenil, mas só descobrirei lendo, né? Já li outros livros da autora e gostei bastante de seu jeito bem humorado de escrever.

    ResponderExcluir
  5. Li esse livro há um bom tempo e gostei bastante da leitura, mesmo que não seja um livro que mude a sua vida!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Bem vi pela capa que o livro tem tudo a ver com o público infanto-juvenil e lendo a resenha tive certeza! É uma ótima sugestão de presente!! Dica anotada.
    Bjos,
    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Camila, ainda não tive o prazer de ler algo da autora, acredita? Mesmo você não indicando tanto para os fãs de romances históricos, vou deixar a dica anotada, pois gostei do enredo.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?
    Então, ainda não li anda da autora... na minha opinião os livros parecem ser bem para o público adolescente, não sendo do tipo que me agradaria. Vejo mais como uma opção para se ler caso não haja outra. O fato de não haver uma boa descrição da época já deixa isso claro, não parece ser um livro bem escrito.
    Não curti muito o fato da protagonista demorar para solucionar um problema mesmo que o mesmo esteja claro, acho isso bem irritante kkk
    Infelizmente vou passar a dica, beijos

    ResponderExcluir
  9. Ooi Ainda não conhecia o livro, mas adorei o enredo, e a capa é bem fofa.
    Mas o fato da protagonista demorar a solucionar os problemas, isso me incomodaria muito.
    Beijos boa semana adorei o blog, já vou seguir para acompanhar tudo.
    http://bellapagina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Amo Meg Cabot, todos os livros que li dela amei, estou curiosa para ler esse novo livro dela preciso de umas leitura leves por um tempo. A resenha está muito bem feita e na dose certa sem contar muito, odeio resenhas que quase falam o livro todo no final nem é preciso ler o livro. Beijos
    www.diferentesou.com.br

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    Confesso que estava bem interessada em ler o livro, gosto de histórias de época e saber que ela não define um especifica me desanima. A capa do livro é maravilhosa, mas não demonstra ser tão infanto-juvenil assim, acabei me decepcionando por isso também.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  12. Olá Camila, tudo bem?
    Esse livro já está na minha lista de aquisições, pois a premissa dele já tinha me conquistado. Adorei conhecer melhor a obra através das suas impressões. Mesmo não sendo u romance histórico (Meu gênero favorito) vou dar sim uma chance a obra. Também curto romances fofinhos e divertidos
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila , adorei o trecho “aceitar as perdas com elegância e passar pelas dificuldades com coragem." Lindo e me identifiquei com ele acho que sou um tanto assim, me representa.
    Amo livros infanto juvenis e como ainda não li nada autora e histórias cômicas são as minhas favoritas, anotei com dica.
    Adorei a sua resenha que comunica de forma objetiva e prática.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  14. Não ligo pra isso da autora não ter definido uma época para a história se passar, sou fã da Meg e estou com muita vontade de conhecer essa história. É bom saber que não devo esperar muitas surpresas, mas acho que mesmo assim vou me divertir com a leitura.

    ResponderExcluir
  15. Oi Camila, sua linda, tudo bem?
    Eu fiquei aqui curiosa com a atitude do Jacob, será que ele gosta dela e está tentando eliminar os concorrentes??? Risos... Que pena que não gostou tanto do livro. Mas parece ser uma leitura bem leve e divertida para aqueles momentos de ressaca. Gostie da sinceridade da resenha.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oieee, gosto muito da escrita da Mag, e fiquei super a fim de ler mais um livrinho da autora, já esta até na minha lista! obrigada por compartilhar sua experiencia!

    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Tô com o livro aqui pra ser lido ainda esse mês (boa sorte, ana), mas vc me aliviou pelo jeito em uma tarde dá pra ler né? Quando pedi imaginei que seria voltado ao público infanto-juvenil, mas considerando que nunca li nada da Meg decidi pegar.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Acredita que nunca li nada da autora? Tenho muita curiosidade, mas esse em particular não me chamou a atenção por ser uma coisa bem mais juvenil do que estou acostumada. Mas adorei poder conferir a sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Super fofo este livro! Adoro a Meg e quero muito este livro, é bom uma leitura mais leve pra variar de vez em quando.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Ainda não conhecia esse livro, ele parece ser bom para quem curto histórias assim, mas não chamou tanto a minha atenção. Da autora eu só li Quando Cai o Raio, que é muito bom por sinal, tenho que ler a continuação haha
    Ótima resenha :)

    Epílogo em Branco

    ResponderExcluir
  21. Já vi tantos elogios à escrita da Meg Cabot que estou aqui arrancando os cabelos por ainda nao ter lido nada dela. Até tenho um livro dela na estante, mas sempre deixo pra depois. Depois da sua resenha está decidido, vou conhecer a escrita dessa mulher logo.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? Olha de fato não sei se seria uma boa recomendação para mim mesmo rs Além de ser bastante fãs de romances de época bem definidos, ainda tenho a questão que já li romances assim da autora e não gostei muito. Me parece que faltou agora e por isso sempre fico com pé atrás algo do mesmo gênero dela. Sua resenha ressaltou vários pontos bons mas ainda tenho que pensar. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir