Resenha: Criaturas e Criadores - Raphael Draccon, Carolina Munhóz, Frini Georgakopoulos e Raphael Montes



Editora Galera Record
248 páginas
2017

Quatro dos mais populares autores contemporâneos brasileiros, Raphael Draccon, Carolina Munhóz, Frini Georgakopoulos e Raphael Montes se uniram para reinventar os contos de terror clássicos. Frankenstein vice, e está numa favela do Rio. Rumores indicam que Drácula pode ser o dono de uma nova e badalada boate. Numa faculdade de artes, há uma lenda que diz que um fantasma ajuda belas jovens a cantar num teatro abandonado. Um mistério ronda a vida de um dentista e pai de família que está prestes a descobrir seu lado mais monstruoso. Quatro clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros, para noites de sustos, terror e gritos.
*Sinopse original

Criaturas e Criadores é uma reunião de quatro contos que extraem o melhor de quatro grandes histórias do terror, trazendo versões contemporâneas e genuinamente brasileiras. O único dos autores que eu já havia lido era o Raphael Montes e por isso pouco esperava dos demais, mas me surpreendi muito e positivamente com todos que trouxeram releituras maravilhosas e cheias de originalidade, por isso decidi falar um pouco de cada conto e não do livro como um todo pra tentar dar um gostinho maior do que vocês podem esperar desse livro.


Raphael Draccon - A Criatura

Nesta releitura de Frankestein, o monstro está mais do que vivo e pode ser encontrado, embora você não fosse querer isso, em uma favela do Rio de Janeiro. Nessa história conhecemos Elizabeth, uma jornalista, repórter e youtuber que ganha a vida entrevistando criminosos e contando histórias que chocam. Dessa vez, sua missão é extrair de Victor, um médico cirurgião procurado pela polícia, a verdade sobre suas polêmicas experiências e opiniões sobre reviver os mortos e tudo isso acontece em um barraco na favela cercado de traficantes armados até os dentes... mas nada disso abala Elizabeth que só pensa em se tornar uma das maiores jornalistas do país.

Extremamente surpreendente, o conto de Draccon mistura perfeitamente o clássico com uma realidade muito comum, infelizmente, para grande parte da população do Rio de Janeiro, contextualizando de forma muito interessante e quase genial toda a história. Mesmo em poucas páginas ele conseguiu delinear perfeitamente os personagens, criando personalidades surpreendentes. Creio que foi a melhor forma de conhecer o autor, já consagrado, mas que eu ainda não tinha tido a oportunidade de ler.

Carolina Munhóz - Conde de Ville

Uma nova casa noturna é aberta na cidade. Seu nome logo vira sinônimo de sucesso e seu ar soturno  atrai cada vez mais visitantes. Seu dono, o europeu Vlad, é uma figura enigmática e que desperta curiosidade e acaba mexendo com Elis, uma escritora de histórias sombrias que vê sua inspiração voltar após o conhecer. Mas seriam seus contos pura imaginação ou lembranças que ela sequer sabia  ter vivido?

Baseado em Drácula, o conto de Carolina Munhóz traz uma personagem que combina força e delicadeza, numa sucessão de escolhas que irão nos levar à verdade sobre o misterioso Vlad. Foi meu primeiro contato com um trabalho da autora e posso dizer que gostei muito do que provei. Seu modo de encaixar detalhes sutis mas importantes aqui e ali fez toda a diferença e tornou o conto ainda mais instigante.

Frini Georgakopoulos  - Por trás da máscara

Inspirado em O Fantasma da Ópera, o conto de Frini conta a história de Christine Daaé, uma jovem cantora que conseguiu realizar o seu sonho de entrar na mais conceituada escola de artes do seu país, porém não consegue seguir em frente após a perda de seu pai e com isso vê seu sonho ir por água abaixo. Agora ela precisa correr atrás do prejuízo e pra voltar a ser uma boa aluna acaba contando com a ajuda inesperada de um misterioso fantasma que protagoniza uma lenda que diz que ele seria um professor em busca da voz perfeita.

Meu conto favorito dentre os quatro existentes no livro, a história de Frini emociona com a mistura bem feita de elementos: amizade, paixão, perda e sonhos a serem realizados. As menções à obra original despertam a curiosidade de ir até a fonte que a inspirou e deixam claro o quanto a autora gosta do clássico. A Frini blogueira e mediadora eu já tive o grande prazer de conhecer, inclusive pessoalmente, mas como autora foi o meu primeiro contato e fiquei apaixonada pelo o que encontrei: um conto muito bem escrito, imaginado e extremamente gostoso de ler.

Raphael Montes - O Sorriso do Homem Mau

O conto de Montes é uma versão estendida de um famoso conto seu e conta a história de Pablo, um dentista, pai, marido e cidadão exemplar que na verdade não é o que aparenta ser. Dentro dele há um monstro que Pablo não sabe controlar.

Raphael é um autor que já tive o prazer de ler e que admiro muito, já que é um dos poucos do gênero que consegue me prender. Suas histórias são sempre surpreendentes e me deixam cheia de medo e dessa vez não foi diferente. Eu não li o conto original mas nem por isso fiquei perdida nessa nova versão estendida, pois a história é bem objetiva e o mistério prende de uma forma que é impossível largar. É um conto que fala muito sobre os sentimentos que cada um carrega dentro de si e que da muito o que pensar.


Um livro muito bem elaborado, Criaturas e Criadores é aquele título que você pega na intenção de ler um capítulo ou dois e quando vê já finalizou todo o livro. Todos os autores foram excelentes em suas releituras na sua missão de prender o leitor até a última página. Uma excelente escolha pra quem ainda pretende iniciar o gênero, mas a regra é clara: leiam durante a noite!



1 comentários:

  1. Muito bom o post! E adorei a ideia desse livro.

    ResponderExcluir