[Sobre Séries]: O Mundo Sombrio de Sabrina - 1° Temporada



Produção original Netflix
Título original: Chilling Adventures of Sabrina
Elenco: Kiernan Shipka, Miranda Otto, Lucy Davis, Ross Lynch
Criação/Direção: Roberto Aguirre-Sacasa
Número de episódios: 10
Duração por episódio: cerca de 60 minutos
Ano: 2018
Gênero: Drama, Terror, Fantasia (Não recomendado para menores de 16 anos)

Sinopse:
Metade bruxa, metade humana Sabrina está prestes a completar 16 anos e precisa tomar uma importante decisão: escolher entre o mundo oculto da bruxaria ao qual sua família pertence ou o mundo humano onde estão seus amigos e o seu namorado.


Quem não conhece - ou ao menos ouviu falar de - Sabrina, a bruxinha adolescente que já foi à Roma e à Austrália, sempre acompanhada de suas tias e do seu gato Salém? Pois bem, a série ganhou um reboot feito pela Netflix que andou preocupando bastante os nostálgicos por conta do que estava por vir (principalmente pela falta do falante Salém) mas preocupações à parte ela voltou. E bem mais sombria.

O Mundo Sombrio de Sabrina foi baseado nas HQs "Chilling Adventures of Sabrina" que reimagina a história da menina que é aprendiz de feiticeira, contando suas aventuras de uma forma muito mais  obscura. Bem diferente da comédia com a qual estávamos acostumados, essa nova versão conseguiu criar uma nova identidade para uma protagonista já conhecida e isso pode ser percebido pelo seu visual mais sério, com cores escuras e de segundo plano desfocado.



Resenha: Choque de Cultura: 79 filmes pra assistir enquanto dirige - Caíto Manier et al.


Editora: Galera Record
240 páginas
2018

Sucesso no Youtube, Choque de cultura está chegando na sua terceira temporada - com diversos memes e frases de efeito muito utilizadas - e agora nas livrarias com esse compilados de resenhas sobre 79 filmes (deveriam ser 80 mas o Julinho não entregou a crítica de "Seu eu fosse você 2"). Tudo com muito humor, talento e profissionalismo!

Um livro top magia essencial para os amantes da sétima arte e escrito pelos maiores nomes do transporte alternativo.


"Um morto muito louco é um filme muito realista. Quem já se viu numa situação em que um brother desmaia numa balada sabe o que é carregar um corpo pela pista no braço."

Achou que não ia ter livro de crítica também? Achou errado, otário!


Resenha: Máscaras - FML Pepper


Editora: Valentina
274 páginas
2018

Outras resenhas da autora:
Não Pare!
Não Fale!
Treze

ATENÇÃO: Por se tratar do spin-off de uma trilogia, essa resenha pode conter spoilers.
Grandes verdades ainda não reveladas, relevações muito bem escondidas: As máscaras da Trilogia Não Pare! foram arrancadas!

Richard e suas fraquezas, Guimlel e suas certezas distorcidas, Samantha com seus sentimentos desprezados, Nina e seus desejos ocultos e muitos outros personagens sendo desvendados de uma forma que ninguém poderia imaginar. Mentiras vindas à luz, verdades obscurecidas e máscaras que, mais uma vez, tentam enganar a morte.


"Perdas... as pedras que pavimentam o caminho da vitória."


"Não Pare!" é uma trilogia que desde o início me agradou demais principalmente pela mitologia única criada pela autora, que fez com que a história de Nina tivesse um grande destaque aos meus olhos em relação aos demais livros do gênero. Terminei o primeiro livro bastante empolgada mas não tive a mesma empolgação com o segundo, e por isso, mesmo tendo o desfecho da trilogia em mãos há tempos, acabei catando uns spoilers por ai e adiando, adiando e adiando a leitura da parte final. Até que surge Máscaras: um livro que me pareceu de cara um supérfluo - afinal o que mais poderia haver nessa trama? - mas que me surpreendeu muito ao se mostrar mais do que necessário.


Resenha: O Ceifador - Neal Shustermam


Editora: Seguinte
Tradutor: Guilherme Miranda
448 páginas
2018

Outras resenhas do autor:
Fragmentados
O Fundo é apenas o começo

Primeiro mandamento: matarás.

A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade.
Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.
*Sinopse original

"O que mais desejo para a humanidade não é a paz, o consolo ou a alegria. É que ainda morramos um pouco por dentro toda vez que testemunhemos a morte de outra pessoa. Pois só a dor da empatia nos manterá humanos, nenhum Deus vai poder nos ajudar se algum dia perdermos isso."

Sabe aquele livro que você cansou de ver por aí mas que nunca realmente prestou atenção? Pois bem, esse é o meu caso com O Ceifador, título que já ouvi falar por diversas vezes mas que só vi realmente com atenção após receber da Seguinte o segundo volume da trilogia, A Nuvem, o que me fez correr atrás do primeiro livro e, só então, foi que eu reparei nele de verdade e percebi que foi escrito por um autor que já havia me conquistado (sim gente,sou bem desatenta às vezes haha), lá em meados de 2015.


Resenha: Tudo aquilo que nos separa - Rosie Walsh


Editora Record
Tradutor: Márcio El-Jack
336 páginas
2018
*Prova não revisada recebida pelo VIB da Record

Bastaram sete dias para que Sarah e Eddie se conhecessem e se apaixonassem como nunca antes. Sete dias perfeitos de paixão mútua e então ele precisou partir para uma viagem há muito agendada, prometendo te ligar do aeroporto e em vários momentos depois, mas ele não liga. "Desencana do cara", seus amigos dizem, mas você sabe que eles estão errados e que deve ter acontecido algo para que Eddie não ligasse.

E Sarah está certa, mas o que fazer quando o motivo que os separa é a única verdade que eles não haviam compartilhado um com o outro?

"Não acho que o amor deva ser uma explosão. Não acho que deva ser dramático, cheio de sofreguidão, nem nada dessas bobagens que dizem os músicos e escritores. Mas acho que, quando acontece, nós sabemos."

Tudo Aquilo que nos separa é mais um dos livros que recebemos antecipadamente da editora, mas que por conta de diversos fatores externos acabou sendo deixado para depois (tanto que já até foi lançado) e confesso que pela apresentação também não fiquei super empolgada em o ler logo. Mas foi puro julgamento inicial, uma vez que quando o peguei e iniciei sua leitura foram questões de dias até chegar ao fim.